• Livros de sua autoria
Contundente retrato do Brasil durante a pandemia de gripe espanhola, A bailarina da morte investiga a doença mortal que há um século assombrou a humanidade e revela trágicas semelhanças com a covid-19. VEJA+
  • Premiações
Falling Walls Remote 2020 VEJA+
  • Livros Infantis/ Children's Book
Com um tom leve e divertido, esta é uma biografia completa de Monteiro Lobato para crianças. Nesta edição ricamente ilustrada, os leitores vão conhecer a vida do maior autor brasileiro de literatura infantil a partir de seu próprio relato. VEJA+
  • Videos
O presidente Jair Bolsonaro faz tudo, menos democracia. VEJA+
  • Artigos na imprensa
Não existe igualdade de direitos na sociedade brasileira e muito menos representação proporcional na política do país. VEJA+
  • Videos
A consciência da perda que nos atravessa e nos conecta no luto já esteve muito mais presente VEJA+
  • Livros que organizou/Books you've organized
Um volume denso e plural sobre o tema da república e do republicanismo, desde a antiguidade até as experiências republicanas mais localizadas e, particularmente, no Brasil. VEJA+
  • Livros que organizou/Books you've organized
Alberto da Costa e Silva, Evaldo Cabral de Mello e José Murilo de Carvalho são historiadores de ofício, carreira e vocação, que criaram obras fundamentais para entender o país, a partir de abordagens bastante distintas entre si. Como mostram Lilia Schwarcz e Heloisa Starling – elas mesmas referências na área da historiografia brasileira – com diferentes trajetórias, formações, objetos e campos de análise, esses três pensadores mantêm, no entanto, um ponto comum, inteligível: o Brasil não é um só. VEJA+
  • Livros de sua autoria
Valendo-se de uma ampla reunião de dados estatísticos, Lilia M. Schwarcz examina algumas das raízes do autoritarismo brasileiro, bastante antigas e arraigadas, embora frequentemente mascaradas pela mitologia nacional VEJA+
  • Artigos acadêmicos
Em dezembro de 2018 completam-se cinco décadas do início do período mais assustador da ditadura militar. Recordar, hoje, esse momento é uma espécie de antídoto contra quem questiona valores básicos da democracia  VEJA+
  • Artigos na imprensa
Desde as incontornáveis contribuições de Erwin Panofsky, para quem "a arte é um objeto feito pelo homem que pede para ser experimentado esteticamente", os avanços no campo da investigação artística têm sido consideráveis. VEJA+
  • Entrevistas
An appeal by Rio de Janeiro students received thousands of replies amid soul-searching over the neglect of cultural heritage VEJA+
  • Artigos
A primeira vez que me deparei com um trabalho de Kara Walker foi em 2007, no Whitney Museum, em Nova York. Entrei desavisada, pois meu objetivo era ver uma outra exposição, na mesma instituição. A verdade é que passei por aquele andar apenas para não perder o passeio e, hoje, tenho a certeza, de que de lá nunca mais saí. VEJA+
  • Entrevistas
Revista Habitus, vol.15, n.2 (2017) Nesta entrevista, a autora nos conta sobre o seu caminho profissional, o processo de criação da biografia, suas descobertas e dificuldades desde o momento de sua idealização, como também a impor- tância de recuperar Lima Barreto em um momento no qual a valorização da cultura negra está direta- mente associada com o processo de resistência que populações periféricas – de maioria afrodescendente – enfrentam diante do aumento das políticas de violência contra seu povo. VEJA+
  • Artigos
No Brasil, é até possível reconhecer que exista algum tipo de discriminação, mas ela é sempre um problema do ‘outro’.  VEJA+
  • Livros que organizou/Books you've organized
Esta obra reúne contribuições de especialistas brasileiros e estrangeiros sobre aspectos diversos da escravidão e do pós-abolição, examinando-os em conexão com os mecanismos de exclusão e de inclusão racial e social.  VEJA+
  • Artigos
O Atlas da Violência descreve o assassinato de muitos Marcos Vinícius, jovens negros das periferias de todo o país, que, a partir dos 14 anos, já entram perigosamente nas taxas de homicídio por armas de fogo VEJA+
  • Artigos
Temos que evitar o perigo de dividir aqueles que lutam por um país mais igual e deixar incólumes e satisfeitos os que acreditam que racismo no Brasil não passa de conversa mimimi VEJA+